Ouça ao vivo
Rádio Costa Oeste 106,5 FM

106,5 FM

Rádio Costa Oeste

Rádio Independência 92,7 FM

92,7 FM

Rádio Independência

Rádio Cultura 820 AM

820 AM

Rádio Cultura

Rádio Terra das Águas 93,3 FM

93,3 FM

Rádio Terra das Águas

Rádio Guaíra 89,7 FM

89,7 FM

Rádio Guaíra

Campanha quer reduzir os casos de tuberculose e brucelose na região Oeste do Paraná

O objetivo é alertar sobre a importância da prevenção, visando reduzir a incidência dessas doenças.

  • 27/10/2017
  • Foto(s): Rádio Sintonia
Campanha quer reduzir os casos de tuberculose e brucelose na região Oeste do Paraná

O Conselho de Sanidade Agropecuária (CSA) de Matelândia (PR) lançou, na última quarta-feira (24), uma Campanha de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal. A iniciativa tem o apoio do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), da qual fazem parte a Itaipu Binacional e outras 60 instituições.

As ações de divulgação, incluindo peças publicitárias e vídeos que serão veiculados nas redes sociais, foram apresentadas a um grupo de produtores no CTG Querência Nova Matelândia. O objetivo é alertar sobre a importância da prevenção, visando reduzir a incidência dessas doenças. Pesquisas apontam que 8% do rebanho do Oeste do Paraná esteja contaminado.

Os materiais reforçam a necessidade de vacinar as bezerras bovinas e bufalinas e realizar os exames em todo o rebanho periodicamente. Lembram também que, caso não vacine adequadamente os animais na idade entre 3 e 8 meses, o produtor pode ser autuado.

“A atividade do CSA de Matelândia é elogiável e todos os municípios deveriam replicar. É possível reduzir o índice de brucelose e tuberculose nos rebanhos e minimizar os prejuízos. Conquistar um status sanitário adequado é fundamental para a nossa região. Só assim seremos mais competitivos”, disse Elias Zydek, vice-presidente do POD.

A campanha conta também com o apoio da Secretaria de Agricultura de Matelândia, Associação Comercial e Empresarial de Matelândia (Acima), Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) e Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater).

Em humanos

Segundo a médica veterinária Giovana Brückmann, tanto a brucelose quanto a tuberculose podem ser transmitidas aos seres humanos, através do leite ou carne. Ou seja, a sanidade agropecuária é também uma questão de saúde pública, não só pelo consumo dos alimentos, como também pelos riscos de contaminação humana durante o manejo dos animais.

O vice-presidente do POD destacou que nem todo produto passa pelo tratamento adequado, como a pasteurização, por exemplo, que destrói as bactérias. Assim, quem toma leite cru ou consome queijos artesanais corre maior risco de contaminação.

Outro problema é a redução da produtividade: vacas doentes produzem até 50% menos. Em casos avançados de tuberculose, há perda também das carcaças.

Sintomas

As bactérias tanto da brucelose quanto da tuberculose são transmitidas quando o ser humano entra em contato direto com alguma secreção de um com o animal infectado, quando consome carne contaminada ou inala o ar infectado. A causa mais comum é a ingestão de alimentos derivados do leite não pasteurizado.

Os sintomas da brucelose são parecidos com o da gripe, mas com alterações da memória, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dores musculares (principalmente nas costas e abdômen), fadiga, fraqueza, febre alta recorrente, tremores, entre outros. Pessoas com tuberculose sentem dores no peito e ao respirar e apresentam tosse (às vezes, com sangue), perda de peso, sudorese noturna e febre.

Fonte: Imprensa Itaipu

Mais lidas relacionadas deste mês

Colunistas

Cidades relacionadas