Ouça ao vivo
Rádio Costa Oeste 106,5 FM

106,5 FM

Rádio Costa Oeste

Rádio Independência 92,7 FM

92,7 FM

Rádio Independência

Rádio Cultura 820 AM

820 AM

Rádio Cultura

Rádio Terra das Águas 93,3 FM

93,3 FM

Rádio Terra das Águas

Rádio Guaíra 89,7 FM

89,7 FM

Rádio Guaíra

Paraná terá R$ 2 bilhões para pré-custeio na safra 2016/17

  • 04/02/2016
  • Foto(s): Divulgação
Paraná terá R$ 2 bilhões para pré-custeio na safra 2016/17
Nem bem iniciou a colheita da safra 2015/16 de soja e o produtor já está pensando no ciclo 2016/17. O Banco do Brasil anunciou ontem a liberação antecipada dos recursos de pré-custeio.

Serão disponibilizados R$ 10 bilhões, 20% a mais no comparativo com o ano anterior, quando foram ofertados R$ 8 bilhões. Só para o Paraná, segundo o banco, serão R$ 2 bilhões em recursos disponíveis direcionados para o pré-custeio. Edson Pascoal Cardozo, superintendente Estadual do Banco do Brasil, afirma que a disponibilidade de recurso já é uma tradição da instituição. O fato inédito foi a antecipação para fevereiro, já que as liberações geralmente começam em abril ou maio.

"Com o recurso, o produtor já garante as compras dos insumos", observa o superintendente. A liberação ocorreu simultaneamente em todo o Brasil, onde os produtores já puderam contratar o serviço. Vicente Montans, produtor de grãos na região de Cornélio Procópio (Norte), foi um dos primeiros agricultores do País a contratar o empréstimo de pré-custeio.

Montans afirma que a antecipação da contratação do recurso aumenta o poder de barganha na hora de negociar com o gerente. O subsídio adquirido pelo agricultor foi fechado a uma taxa de 8,75% ao ano e será utilizado para comprar sementes, fertilizantes e defensivos agrícolas. Na safra 2016/17, ele deve semear 2,5 mil hectares com soja, ante 2,3 mil hectares plantados no atual período (2015/16).

Para a contratação do recurso, o produtor só precisa comprovar o quanto irá plantar e conversar com o gerente da sua regional. Questionado pela FOLHA se o valor de RS 10 bilhões disponível para pré-custeio será o suficiente para atender à demanda diante ao aumento do custo de produção, elevado devido à valorização do dólar frente ao real, Montans garante que o recurso vai atender à necessidade de todos que o solicitarem.

De acordo com dados do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab), o custo variável de produção, que leva em conta os gastos dos produtores com maquinários, insumos, mão de obra, entre outros, fechou em novembro do ano passado em R$ 33,39 por saca, contra R$ 28,07 por saca no comparativo com o mesmo período do ano anterior. Por causa disso, muitos produtores precisarão de mais recursos para comprar insumos.

Regras

De acordo com dados do Banco do Brasil, os recursos estarão disponíveis aos médios produtores com faturamento de até R$ 1,6 milhão ao ano por meio do Programa Nacional de Apoio aos Médios Produtores Rurais (Pronamp). A taxa é de 7,75% ao ano até o teto de R$ 710 mil. Os outros produtores acessam o crédito com encargos de 8,75% ao ano até o teto de R$ 1,2 milhão por beneficiário. O volume de R$ 10 bilhões, ofertado 100% a taxas controladas, é resultado principalmente da elevação da exigibilidade da Poupança Rural de 72% para 74% na safra 2015/16.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa ) anunciou o recurso de pré-custeio no último dia 28, durante a 44ª Reunião Ordinária do Pleno do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES). O montante faz parte de um conjunto de medidas anunciadas pelo governo federal que, juntas, somam R$ 83 bilhões em crédito. O objetivo, de acordo com o governo, é estabilizar a economia e recuperar o crescimento e o emprego.

Fonte: Agrolink / Folha Web

Envie sua Notícia, vídeo, foto
(45)9910-25533

Colunistas