Ouça ao vivo
Rádio Costa Oeste 106,5 FM

106,5 FM

Rádio Costa Oeste

Rádio Independência 92,7 FM

92,7 FM

Rádio Independência

Rádio Cultura 820 AM

820 AM

Rádio Cultura

Rádio Terra das Águas 93,3 FM

93,3 FM

Rádio Terra das Águas

Rádio Guaíra 89,7 FM

89,7 FM

Rádio Guaíra

Chuvas de janeiro no Paraná ultrapassam média histórica; Foz e Santa Helena estão entre os maiores índices

O Simepar apontou que a precipitação acumulada em oito pontos diferentes do Estado foi de 2.748,6 milímetros (mm). Confira os dados por região.

Chuvas de janeiro no Paraná ultrapassam média histórica; Foz e Santa Helena estão entre os maiores índices

Chove chuva, chove sem parar. A melodia do cantor e compositor Jorge Ben Jor embalou o mês de janeiro no Paraná. O Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) apontou que a precipitação acumulada em oito pontos diferentes do Estado foi de 2.748,6 milímetros (mm). O índice é 151% superior ao mesmo período do ano passado – em janeiro de 2020 foram 1.094,2 mm.

Em relação à média, o aumento também foi significativo, de 67%. No primeiro mês de 2021 choveu 343,5 mm, contra um histórico de 205,7 mm. O levantamento leva em consideração as regionais de Paranaguá, Curitiba, Ponta Grossa, Guarapuava, Londrina, Maringá, Cascavel e Foz do Iguaçu.

“Choveu muito no Paraná por inteiro, em algumas localidades bem acima da média histórica. O principal fator foi o fluxo de umidade no canal da Amazônia para o Sul o País. Janeiro normalmente já é úmido e quente, com essa atividade ficou com ainda mais umidade e calor, resultando em chuvas diárias”, afirmou o meteorologista do Simepar, Reinaldo Kneib.

Ele lembrou que Foz do Iguaçu (Oeste) e Guaraqueçaba (Litoral) bateram recorde de precipitação dos últimos 20 anos. Em Guaraqueçaba foram 810 mm em 31 dias, a cidade que mais choveu em janeiro no Paraná. Em Foz, a vice-líder, o acúmulo foi de 609,6 mm. Guaratuba (571,2 mm), Antonina (513,6 mm) e Santa Helena (400,6 mm) completa o top 5 de acordo com o Simepar. “Os maiores índices ficaram concentrados no Litoral e no Oeste paranaense”, disse.

CAPITAL – Com 194,6 mm, Curitiba ficou pouco acima da média histórica, de 185 mm. O resultado, porém, não é suficiente para acabar com o sistema de rodízio de água estabelecido pela Sanepar ainda no ano passado. “As chuvas foram boas em sua totalidade, já que atingimos a média histórica e a previsão era de que pudesse ficar um pouco abaixo. Isso ajuda na recuperação dos reservatórios, principalmente na Região Metropolitana de Curitiba”, explicou o diretor de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar, Julio Gonchorosky.

“A capacidade dos reservatórios está em torno de 47%, dentro da nossa previsão é chegar ao fim do mês de março com 60%. Aí sim poderemos rediscutir a estratégia de rodízio”, acrescentou.

Em janeiro de 2020 o acumulado de chuvas na Capital foi de 156,6 mm.

CONSCIENTIZAÇÃO – Até lá, Gonchorosky reforça o pedido para que a população seja parceira do Estado no uso racional da água, evitando desperdícios. “A população paranaense é fundamental para podermos superar este momento difícil e recuperar os reservatórios da região de Curitiba”, disse.

PREVISÃO – Segundo Reinaldo Kneib, a chuva deve continuar em fevereiro, mas em menor intensidade, especialmente no litoral e interior do Estado. “Será dentro da média, um mês mais calmo”, afirmou.

POR REGIÃO – A chuva em janeiro em oito pontos diferentes do Paraná:

Paranaguá:

Janeiro de 2020: 123,4 mm

Janeiro de 2021: 563,2 mm

Média histórica: 299,2 mm

Curitiba:

Janeiro de 2020: 156,6 mm

Janeiro de 2021: 194,6 mm

Média histórica: 185 mm

Ponta Grossa:

Janeiro de 2020: 105 mm

Janeiro de 2021: 180,6 mm

Média histórica: 162,3 mm

Guarapuava:

Janeiro de 2020: 97,4 mm

Janeiro de 2021: 252,4 mm

Média histórica: 202,6 mm

Londrina:

Janeiro de 2020: 108 mm

Janeiro de 2021: 230,8 mm

Média histórica: 227,3 mm

Maringá:

Janeiro de 2020: 138,8 mm

Janeiro de 2021: 350,2 mm

Média histórica: 202,7 mm

Cascavel:

Janeiro de 2020: 163,2 mm

Janeiro de 2021: 367,2 mm

Média histórica: 192,8 mm

Foz do Iguaçu:

Janeiro de 2020: 201,8 mm

Janeiro de 2021: 609,6 mm

Média histórica: 174 mm

Fonte: AEN

Autor do post